Fukushima: Zona de Exclusão

Natureza engole carros e sacos de lixo contendo material contaminado são empilhados aos milhões
Veículos largados na Zona de Exclusão estão sendo engolidos pela natureza
Medidor de radiação mostra 6.7 uSv/h nas mãos do fotógrafo
Veículos largados na Zona de Exclusão estão sendo engolidos pela natureza
Veículos largados na Zona de Exclusão estão sendo engolidos pela natureza
Televisores contaminados foram coletados e reunidos em pilhas
Os mercadinhos locais parecem cenário de The Walking Dead. Estão todos tomados por teias de aranhas
Os mercadinhos locais parecem cenário de The Walking Dead. Estão todos tomados por teias de aranhas
Este escritório foi invadido por pássaros, e eles capricharam na mira para acertar os computadores
A mesa de jantar continua intácta
No parquinho, os carros começam a se deteriorar
Nessa escola, apenas o piano ficou intocado
O terremoto que resultou no tsunami também danificou os prédios
As bikes foram deixadas para trás
A aula foi interrompida pela metade
O fliperama agora não tem mais dono
Milhões de sacos com material contaminado foram empilhados na Zona de Exclusão
Milhões de sacos com material contaminado foram empilhados na Zona de Exclusão
Milhões de sacos com material contaminado foram empilhados na Zona de Exclusão
Esta foto foi tirada momentos após a radiação tomar conta do lugar. Os fazendeiros acreditam que a vaca comeu grama contaminada
A placa na entrada da Fukushima diz:

Poucas pessoas têm acesso às áreas afetadas pelo desastre nuclear de Fukushima, em março de 2011. O fotógrafo polonês Arkadiusz Podniesinski conseguiu uma licença especial para visitar a Zona de Exclusão — um perímetro com 20 km de circunferência, ainda contaminado —, e foi para lá no último mês de setembro. Os registros que o cara fez, estão na galeria ai embaixo.

Um deserto tomado por milhões de sacos de lixo contendo material contaminado nos campos, e uma cidade largada às pressas, ainda cheia de produtos nas prateleiras, computadores, bicicletas e carros nas ruas sendo engolidos pela natureza.

Embora tenha fotografado também a área afetada pelo desastre de Chernobyl, ele contou que foi para lá sem saber o que iria encontrar.

“Quando eu visitei Chernobyl, há sete anos, imaginei que outro desastre nuclear poderia acontecer. Mas certamente não imaginei que seria no Japão. Afinal de contas, energia nuclear é segura e a tecnologia é pouco vulnerável. Os cientistas dizem isso, as empresas dizem isso, e até o governo diz isso. Mas acabou acontecendo novamente!”, escreveu ele em seu site oficial.

“Quando viajei para Fukushima eu não tinha ideia do que iria encontrar lá. Tudo é diferente. A cultura, os costumes… Como estaria tudo isso quatro anos após o incidente?”, continuou Arkadiusz.

Fotógrafo visita Fukushima e mostra deserto à la The Walking Dead e natureza engolindo carros

Sem mais artigos