Peitos de frango congelados importados do Brasil, vendidos em supermercados do Reino Unido, estão sendo adulterados com até 20% de água e aditivos. As aves – processadas pela Westbridge Food Group – são reembaladas e vendidas a redes de supermercados. Entre os aditivos, estão fosfatos para impedir a perda de água durante o cozimento, e a dextrose, que esconde o salgado de carne crua, tornando-a mais suculenta.

O frango congelado bruto importado, que já vem com sal e, muitas vezes, uma mistura com óleo de milho, recebe ainda água e aditivos na fábrica, que fica em Worcestershire, na Inglaterra. A lei local não proíbe a venda de frango com adição de água, desde que a quantidade seja indicada na embalagem. Redes como Asda, Aldi e Iceland compram frangos em larga escala da empresa, para revenda com marca própria, enquanto a Sainsbury vende mas com outro selo.

A Food Standards Agency (FSA) vai pegar pesado porque percebeu que os supermercados não acham que estão burlando as regras. A questão é que o frango, após a “turbinada”, vira um “processado” ou um “produto” que não mantém as características de carne in natura e já não pode mais ser chamado como tal.

A Autoridade de Segurança Alimentar holandesa fiscalizou várias fábricas no país para impedir a prática. Já alertou que o frango produzido assim será considerado ilegal se for vendido na Holanda

Um estudo, realizado pelo jornal The Guardian, revelou que a maioria dos compradores não sabia que estava pagando por grandes quantidades de água em sua carne. A sondagem revelou que as marcas Asda e Aldi têm 18 por cento de água adicionada ao frango, enquanto a Iceland e a marca Valley, da Sainsbury, têm 15 por cento. A Westbridge não quis se pronunciar sobre o assunto.

Sem mais artigos