A terceira cidade mais populosa do Japão, Osaka, está em polêmica. O prefeito Toru Hashimoto implementou a mais nova lei de que, aqueles que possuem tatuagens não podem ser funcionários públicos, já que tatuar o corpo é uma conhecida tradição dos Yakusa (a máfia).

E com esta norma regulamentada, cirurgiões têm percebido uma crescente no número de pacientes que querem remover suas tatuagens. 

Antes, em média cerca de cinco a seis pessoas buscavam estúdios de remoção no diariamente, hoje, este número chega a torno de 10 a 30.

A maioria são jovens que já possuem licença para trabalhar para o governo como professores. Será que a ditadura está de volta?





Funcionários públicos no Japão não podem ter tatuagens

Sem mais artigos