Um garoto do Reino Unido foi proibido de ser escoteiro por não acreditar em Deus. George Pratt, de 11 anos, frequentava o grupo há dez meses, até que chegou o dia de “jurar fidelidade a Deus e à Rainha”, aí, tudo foi por água abaixo. O menininho é ateu e não conseguiu fazer o juramento.

“Estou muito desapontado por ter sido proibido de frequentar o grupo. Falamos com o líder escoteiro, mas ele não vai mudar sua decisão, porque eu não acredito em Deus. Isso é muito injusto”, declarou o pequeno ao “Mirror”. 

Segundo ele, todos seus amigos escoteiros reprovam a decisão do chefe também. “É algo que eu gostaria muito de fazer, mas não estou autorizado”, lamenta. 

O pai do garoto também está furioso com a repressão ao filho. “O cristianismo é baseado na tolerância, no perdão e na compreensão e meu filho está sendo excluído de um grupo que só aceita pessoas cristãs ou muçulmanas. Eu ensinei George a ser cortês, gentil e atencioso. Ele não acredita em Deus nem que o mundo tenha sido criado em sete dias. Ele é uma criança inteligente e é uma decisão dele não acreditar”, disse Nick, de 45 anos. 

Segundo o juramento do grupo, as crianças devem prometer, “Por sua honra fazer o seu melhor, fazer o seu dever para com Deus e para a Rainha. Ajudar outras pessoas e andar sempre na lei”.  

Sem mais artigos