Se tem uma novidade que vem mexendo com a imaginação dos diretores de filmes adultos é o Google Glass ou óculos futuristas. O lançamento está chacoalhando a indústria bilionária do filme pornô, que está vendo o enorme potencial da traquitana e já está se mobilizando para usar a tecnologia para a próxima geração de filmes.

A principal vantagem da invenção, segundo os especialistas, é deixar as mãos livres enquanto o espectador explora todos os recursos de um determinado filme, como o POV (shooting point of view ou câmera subjetiva), que faz a transmissão parecer muito mais real com a escolha de câmera pelo usuário, ou mesmo o 3D ou até a realidade aumentada, que fazem o espectador “entrar” no filme (com o perdão do trocadilho).

Por outro lado, o Google prepara-se para ser altamente constrangido pela revelação de que o seu equipamento high-tech, que envolveu investimentos milionários, possa ser fortemente associado com a indústria pornográfica.

Q Boyer, um porta-voz de cineastas da produtora pornô Pink Visual, disse ao “The Sun”: “Obviamente, um dispositivo que permite reproduzir vídeos de alta qualidade e que deixa as mãos dos espectadores livres vai permitir acionar outros ângulos da cena de forma muito mais fácil”.

A estrela pornô Alana Evans afirma que já está sonhando com maneiras de usar a nova tecnologia para obter cenas picantes que simplesmente não seriam viáveis ​​com uma câmera tradicional. O Google se recusou a comentar sobre o potencial uso de sua tecnologia em filmes pornôs. Mas será que, a exemplo de outras indústrias, tecnologia e pornografia se unirão como nunca vimos antes?

Indústria pornográfica vê enorme potencial do Google Glass 

Sem mais artigos