Uma das pinturas mais famosas da Grã-Bretanha sofre ataque nesta sexta-feira (28), na National Gallery, em LondresPaul Manning, de cerca de 50 anos, foi preso quando colava uma foto de seu filho na inestimável pintura “The Hay Wain” do pintor John Constable

O autor do atentado é membro de um grupo denominado “Fathers 4 Justice (F4J)”, formado por homens que lutam pela guarda de seus filhos. Na obra, ele grudou a foto do filho, de 11 anos, com a palavra “Help” rabiscada. Visitantes da galeria ficaram atordoados quando os guardas agarraram o homem até policiais chegarem para prendê-lo.

Não houve danos permanentes à obra-prima de 1821, que retrata cavalos puxando uma carroça de feno através do rio Stour, em Suffolk, na Inglaterra. O fato ocorreu horas depois de Tim Haries, também do F4J, comparecer ao tribunal acusado de pichar “Help” em um quadro da Rainha Elisabeth II, avaliado em cerca de 500 mil reais, há duas semanas.

Nesta sexta à noite, o grupo ameaçou ataques semanais sobre tesouros de arte da Grã-Bretanha por conta de sua militância. Um porta-voz disse ao “The Sun”: “Para cada mil famílias destruídas semanalmente em tribunais de família, os pais devem escrever ‘Ajuda’ ou colocar fotos de crianças em locais visíveis para o mundo. Não podemos mais conter a onda de desespero e raiva dos pais.”

Os visitantes da galeria advertiram que desfigurar obras de arte poderia colocar a opinião pública contra o grupo. “As obras de Constable são tesouros nacionais”, disse Beryl-Joan Harrington, ex-enfermeira de 67 anos, do País de Gales. Já o engenheiro de TI, John Byrd, de 31 anos, afirmou que é ultrajante atacar o bolso dos contribuintes. “Não vão conseguir qualquer simpatia do público”.

A National Gallery e outros museus estão reforçando a segurança. A pintura foi removida para restauro, mas, felizmente, ficou constatado não haver danos permanentes. A obra estava de volta no lugar quatro horas depois do atentado.

Policiais disseram nesta sexta à noite que o homem foi preso por suspeita de dano criminal e ainda está sob custódia. Enquanto isso, Haries, de 41 anos, deixou a corte de Southwark Crown, em Londres, respondendo em liberdade sob fiança até setembro.

Sem mais artigos