A organização Ammach já vem se firmando como o grupo de apoio mais estranho da Grã-Bretanha. Eles dão apoio e aconselhamento a aqueles que acreditam que tiveram contato com extra-terrestres, e atendem inclusive por meio de uma linha de telefone.

O grupo foi criado em 2011 para ajudar as pessoas que tiveram um encontro muito próximo com um alienígena. Por semana, eles atendem até cinco chamadas e recebem cerca de 25 e-mails.

No grupo, está uma mulher que diz que aliens fizeram implantes nela para monitoramento, um homem que visita sua esposa e filho alienígenas várias vezes por ano e uma mulher que diz ter sido raptada mais de mil vezes.

Os fundadores Joanne Summerscales e Miles Johnston oferecem apoio emocional a pessoas que foram raptadas e estão traumatizadas com a experiência. Joanne assinala ao “The Mirror”, que muitas pessoas ficam expostas ao ridículo, à difamação e até ao isolamento. Oferecemos apoio sem julgamento e ainda uma oportunidade de falar sobre o que aconteceu.

Eles mantêm reuniões, workshops e uma conferência para que as pessoas se encontrem, possam trocam experiências e ter o seu testemunho filmado e postado online para incentivar outras pessoas a fazer o mesmo.

Miles atua como terapeuta, mas trabalha em tempo parcial como secretário, enquanto Joanne atende as chamadas. A casa de Miles na periferia de Londres é o centro de tecnologia do grupo, onde ele edita vídeos e faz testes para detectar implantes de pessoas, radiação e substâncias estranhas. 

O ex-engenheiro de transmissão utiliza detectores de metal e inúmeros aparelhos estranhos para a tarefa. “Se você já foi a uma outra realidade dimensional, ela deixa uma assinatura em átomos da sua pele. Você pode ver sob luz UV mineral”, explica ele.

Marie Kayali, de 52 anos, também abduzida, fez análise de DNA e passou pelo detector de mentiras para descobrir o que aconteceu com ela. “Eu quero saber porque minha vida está sendo controlada e com que intenção”.

Infelizmente, em novembro 2012, a filha de Marie se suicidou. Marie acredita que ela voltou para a sua “família alien” que a sequestrou pouco antes de sua morte.

Miles explicou que os alienígenas são uma força maléfica. “As pessoas têm sido levadas, colocam coisas dentro delas e as monitoram. Isto é uma violação. Estamos sob a ameaça de extinção como espécie, se não resolvermos isso “, alerta.

Uma pessoa do grupo teve o filho levado pelos serviços sociais porque os consideraram malucos. “Muitas pessoas estão com medo de perder amigos e familiares se falarem no assunto e todos acharem que estão loucos”, lamenta Joanne.

Grupo dá apoio a abduzidos por aliens na Grã-Bretanha

Sem mais artigos