Eduardo José Afonso é uma dessas figuras que podem ser consideradas guardiões da memória de São Paulo. Publicitário e historiador, sempre se interessou em documentar a cidade. Há mais de três décadas, ele faz pesquisas e fotografias da Vila Madalena, bairro que o acolheu desde os dois anos de idade. Atualmente, possui um acervo com mais de seis mil fotos.

Assim, a partir de imagens comparadas feitas dos mesmos locais em épocas diferentes, Afonso consegue mostrar as mudanças atravessadas pela Vila Madalena nos últimos 70 anos. Uma parte do acervo ele herdou de um primo, outra parte ele mesmo documentou. O historiador mostra uma Vila Madalena bem diferente da que vemos hoje. Segundo ele, havia um clima de cidadezinha do interior, com pequeno comércio e muitos imigrantes, em geral portugueses.

O bairro surgiu na década de 1920, quando o Sítio Boa Vista, do português Antônio Cardoso, começou a ser loteado. No começo, povoavam a região lavradores portugueses e italianos, vivendo em chácaras.

Nos anos 1950, com a fundação de uma capelinha para Santa Maria Madalena, o bairro ganhou o nome que tem hoje. Nos anos 1960, vieram os artistas e universitários, expulsos da USP pela ditadura militar. Eles aproveitaram a proximidade da universidade e os aluguéis baratos do bairro -que tem muitas casinhas pequenas de fundo, no melhor estilo português. 

Sem mais artigos