Em cada lugar do Brasil Iemanjá é festejada em datas diferentes. Na Bahia, a celebração é neste domingo (2), no dia de Nossa Senhora das Candeias, enquanto que no Rio de Janeiro a festa acontece no dia 31 de Dezembro, junto à passagem de ano.

Devotos fazem oferendas, como velas, espelhos, pentes, flores, sabonetes e perfumes, para que a Rainha do Mar carregue e, junto com elas, leve todas as tristezas, problemas e aflições para o fundo do mar, trazendo dias melhores. 

Considerada a mãe de quase todos os orixás, é exaltada até por quem não é iniciado em religiões de origem africana. No candomblé, seu nome é uma derivação da expressão yoruba “Yéyé omo ejá‘, traduzida ao pé da letra como “mãe cujos filhos são peixes”.

Mas também é conhecida por vários nomes, dependendo de cada região, como sereia, princesa ou rainha do mar, e, ainda, Inaé, Mucunã, Dandalunda, Janaína, Marabô, Princesa de Aiocá, Maria, Dona Iemanjá e Afrodite brasileira. De origem africana, sua pele foi clareando à medida que foi sofrendo influência de povos europeus e indígenas.

É considerada a padroeira dos amores e acaba sendo muito requisitada em casos mais complicados. De acordo com a crença, tudo pode ser conseguido caso ela permita. A orixá exerce enorme fascínio nos homens, com seus cabelos negros e compridos, corpo escultural e extrema vaidade. 

Venerada e respeitada por pescadores, é ela quem decide o destino das pessoas que adentram seu domínio, já que controla as tempestades e as calmarias.

No sincretismo religioso, Iemanjá tem identidade correspondente a vários santos, além de Nossa Senhora de Candeias: Nossa Senhora dos Navegantes, Nossa Senhora da Conceição, Nossa Senhora da Piedade e Virgem Maria.

No ano passado, a Fibra Galeria, de São Paulo, promoveu uma mostra todinha dedicada a ela. Veja nas imagens da galeria como Iemanjá foi então representada por diversos artistas brasileiros, sob a curadoria de Jairo Bulis Goldenberg e Maíra Maciel. 

Dorival Caymmi, o grande compositor baiano, como não poderia deixar de ser, fez uma música em homenagem a ela, chamada justamente de “Dois de Fevereiro”, confira:

Dia de Iemanjá, a Rainha do Mar; veja obras incríveis retratando a Orixá

Sem mais artigos