Uma tarde no museu é sempre um tempo de descobertas emocionantes. Afinal, lá, é possível encontrar com obras de arte daquelas que a gente só vê nos livros de História ou ilustrações especializadas. 

Mas imaginem só o susto e o contentamento de Max Galuppo ao visitar o Museu de Arte da Filadélfia, e encontrar uma pintura do século XVI com um homem igualzinho a ele. 

Segundo o australiano “Daily Telegraph”, a pintura de 1562, intitulada “Retrato de um Nobre com Luvas de Duelo”, mostra uma surpreendentementeversão bem mais antiga de Galuppo. 

Apesar da inacreditável descoberta, qualquer semelhança entre os dois homens é mesmo apenas coincidência. Não há nenhuma prova que os dois sejam parentes, e nem de que Galuppo seja na verdade um vampiro vivendo através dos séculos. 

Sem mais artigos