Luke Yeomans, de 45 anos de idade, teve um ataque cardíaco e acabou morrendo depois de levar uma mordida de uma das suas cobras-reais de estimação. O ataque cardíaco foi causado pelo veneno da cobra injetado diretamente em sua corrente sanguínea. 

Para quem não sabe, a cobra-real é “prima” da naja e também a cobra mais venenosa do mundo. O que a torna mais letal que outras cobras é sua capacidade de inocular uma quantidade absurda de veneno por mordida.

O santuário de Luke, localizado em Eastwood, no condado de Nottingham (Inglaterra), possui 24. “As pessoas dizem que eu sou louco! Eu acredito que tudo que estou fazendo é bom, estou mantendo uma colônia de cobras-reais para proteger a espécie da extinção. As cobras sabem que sou eu quem dá comida fresca a elas, então não farão nenhum mal a mim”, afirmou o falecido em uma entrevista à BBC.

Ele morreu justamente alguns dias depois de dar inúmeras declarações de que suas cobras nunca lhe causariam mal, que ele estava completamente seguro com os “bichinhos”. A verdade não é bem essa, pelo que vimos, um dia a sorte de Luke Yeomans acabou, os beijos que ele costumava dar nas cobras virou mordida e ele morreu.

Luke Yeomans estava planejando abrir o “santuário” da cobra-real para a visitação do público neste fim de semana, ele só não sabia que ia morrer antes disso, já que criava cobras desde os 15 anos de idade, tinha muito experiência com elas e queria criar outras 100!

Sem mais artigos