O Japão aprovou nesta quarta-feira o reinício das atividades comerciais do reator número 3 da usina nuclear de Tomari (norte), o primeiro a receber a autorização após a crise nuclear em Fukushima, confirmou à Agência Efe o Ministério da Indústria japonês.

Para certificar a atividade comercial do reator, o Executivo obteve nesta quarta-feira a aprovação do governo de Hokkaido, onde fica a usina, que por sua vez havia solicitado a permissão das localidades próximas à central.

Após dar o sinal verde ao Executivo, a governadora de Hokkaido, Harumi Takahashi, solicitou nesta quarta-feira ao governo do país que “atue de maneira responsável na hora de aplicar todas as medidas de segurança possíveis após o acidente de Fukushima”, segundo informou a agência Kyodo.

O reator 3 de Tomari, paralisado desde janeiro por estar submetido a uma inspeção regular, não obteve permissão para retomar suas atividades, visto que a crise nuclear de Fukushima Daiichi paralisou por precaução a maior parte de reatores do país.

Na semana passada, a Hokkaido Electric Power, operadora da central, e a Agência de Segurança Nuclear japonesa concluíram os testes finais do reator e confirmaram seu correto funcionamento.

O Japão mantém mais de 70% dos 54 reatores nucleares com os quais conta paralisados devido à crise iniciada em 11 de março e por isso solicitou aos cidadãos e empresas uma economia de até 15% de eletricidade para fazer frente à alta demanda durante os meses de verão.

Para poder retomar a atividade dos reatores, o governo tornou obrigatório que passem por um teste de resistência que garanta sua segurança através de simulações computadorizadas que avaliam as condições das usinas em situações de emergência, como terremotos e tsunamis.

Japão aprova reinício de 1º reator nuclear após crise de Fukushima

Sem mais artigos