O Governo do Japão realizará testes de resistência em todos os reatores nucleares do arquipélago, enquanto o país ainda tenta solucionar a crise nuclear na central de Fukushima Daiichi, informou nesta quarta-feira a agência Kyodo.

A medida foi anunciada pelo ministro da Indústria japonês, Banri Kaieda, que em meados de junho fez uma chamada para o restabelecimento dos reatores nucleares fora de serviço desde a catástrofe de 11 de março.

Os testes em todas as usinas japonesas serviriam para medir sua resistência perante eventuais desastres naturais de grande magnitude, como terremotos e tsunamis.

O Japão mantém 35 de seus 54 reatores desativados por precaução ou por revisões rotineiras após o desastre de março, que provocou no nordeste do país a pior crise nuclear desde a de Chernobyl, em 1986.

Por estas circunstâncias, a provisão elétrica ficou reduzida, o que levou o Governo a exigir que empresas e particulares do nordeste reduzam seu consumo em 15% durante o verão (Hemisfério Norte).

Por enquanto, apenas a localidade de Genkai (centro do país) aceitou colocar em funcionamento duas das unidades que abriga, embora para ativá-las ainda seja necessária a autorização do governador da província de Saga, que se pronunciará em meados de julho.

Japão realizará testes de resistência em todas suas usinas nucleares

Sem mais artigos
Sair da versão mobile