Treze menores de entre 4 e 16 anos de idade e membros do mesmo clã foram entregues para casar-se com homens de outra família no centro do Paquistão, por causa de uma disputa entre as duas tribos devido a um homicídio, informou nesta terça-feira (09) a imprensa local.
 

A assembleia tribal convocada para resolver a disputa decretou uma compensação de 3 milhões de rúpias (cerca de R$ 60 mil), além das 13 menores, uma tradição conhecida como “vani” e que é habitual na resolução de choques tribais no Paquistão.

O caso ocorreu em uma área rural perto da cidade de Dera Bugti, na conflituosa província sudoeste de Baluchistão.

Um responsável da Polícia de Dera Bugti, Asim Khan, disse à “Agência Efe” que as forças de segurança abriram uma investigação do caso, mas se recusou confirmar os fatos.

A Suprema Corte do Paquistão também abriu diligências pelo caso e requererá às autoridades provinciais que facilitem informação a respeito e prendam os responsáveis, segundo o jornal local “Express Tribune”.

Uma lei paquistanesa de 2011 estabelece penas de três a sete anos para os responsáveis de participar da entrega de mulheres em casamento como compensação por qualquer tipo de disputa. 

Menores são obrigadas a casar-se com membros de tribo rival no Paquistão

Sem mais artigos