Uma mulher italiana recebeu uma carta na qual o Ministério de Segurança e Meio Ambiente de seu país pede o pagamento de 725 euros, cerca de R$ 2 mil, pela limpeza de sangue que seu filho deixou no asfalto após sofrer um acidente de moto no qual acabou morrendo, informou ontem, dia 4, a edição digital do jornal “La Repubblica“.

Alessandra Mezetti afirma que a carta, recebida há poucos dias, explica que para limpar o sangue derramado por seu filho em um pedaço da estrada “foi necessário utilizar uma máquina especial”.

A carta ainda diz, além disso, que a estrada teve que ser limpa “por questões de segurança”, porque poderia ficar “escorregadia” por conta do sangue.

Em 30 de agosto de 2009, o filho de Alessandra, Valerio Leperini, de 15 anos, morreu em um acidente após cair de sua moto na via de Fontanile Anagnino (Roma) e bater a cabeça contra um poste de luz que não deveria estar ali, segundo o jornal italiano.

De fato, acrescenta a publicação, por esta ilegalidade três policiais e um funcionários municipal estão sendo acusados de homicídio culposo.

“Pensei que tinha sonhado com a carta do Ministério de Segurança e Meio Ambiente: 725 euros para limpar o sangue do meu filho da estrada”, diz Alessandra.

A mulher, que classifica a carta como “vergonhosa”, afirmou que não estranharia que qualquer dia o governo a faça pagar pelo poste de luz, que estava mal localizado e acabou tirando a vida de seu filho.

Sem mais artigos