Moradores retornam a Fukushima para fotos

Fotógrafos clicam moradores e donos de lojas na área contaminada de Fukushima
Fotógrafos clicam moradores e donos de lojas na área contaminada de Fukushima
Fotógrafos clicam moradores e donos de lojas na área contaminada de Fukushima
Fotógrafos clicam moradores e donos de lojas na área contaminada de Fukushima
Fotógrafos clicam moradores e donos de lojas na área contaminada de Fukushima
Fotógrafos clicam moradores e donos de lojas na área contaminada de Fukushima
Fotógrafos clicam moradores e donos de lojas na área contaminada de Fukushima
Fotógrafos clicam moradores e donos de lojas na área contaminada de Fukushima
Fotógrafos clicam moradores e donos de lojas na área contaminada de Fukushima
Fotógrafos clicam moradores e donos de lojas na área contaminada de Fukushima
Fotógrafos clicam moradores e donos de lojas na área contaminada de Fukushima
Fotógrafos clicam moradores e donos de lojas na área contaminada de Fukushima
Fotógrafos clicam moradores e donos de lojas na área contaminada de Fukushima
Fotógrafos clicam moradores e donos de lojas na área contaminada de Fukushima

Os fotógrafos Carlos Ayesta e Guillaume Bression tiveram o maior trabalho para conseguir clicar a mais nova série da dupla, a Retracing Our Steps (Refazendo Nossos Passos, em tradução literal).

Eles foram atrás dos nomes dos 80 mil refugiados de Fukushima — esse processo durou cerca de quatro anos — e convidaram alguns deles a retornarem aos locais onde viviam para uma seção de fotos.

“Nós convidamos alguns moradores e visitantes frequentes de Fukushima (alguns deles eram donos de casas e lojas na região) para retornar à zona interditada. Eles abriram as portas para nós. São lugares bem comuns, agora nada amigáveis”, diz um texto no site oficial dos artistas.

“Pedimos que eles agissem da maneira mais normal possível naqueles ambientes — como se nada tivesse acontecido mesmo. A ideia por trás destas fotos surreais era combinar a banalidade com o insólito”, diz o texto.

Para ver o projeto no site oficial, clique aqui.

Moradores retornam a Fukushima para ensaio de fotos surreal

Sem mais artigos