Phil Muspratt não estava satisfeito em apenas jogar as latinhas de cerveja fora depois das festas em sua casa em Hartlepool, na Inglaterra. Não, ele queria mais. Ele desejava que o mundo reconhecesse sua capacidade de consumir álcool. E conseguiu.

Desde 2005, o motorista de ônibus aposentado junta latinhas e as coloca na fachada da sua casa. São 75 mil no total, o que tornou a residência de Phil um ponto turístico da cidade inglesa. Isto, no entanto, não impede a decisão da prefeitura de botar tudo abaixo.

O melhor de tudo é a declaração do documentarista Maxy Neil Bianco depois de dirigir um filme sobre Phil, em 2012:

” A Casa de Lata é uma peça de arte contemporânea popular feita por Phil, um homem à margem da sociedade, um homum cuja vida está em queda livre. É isso que você cria quando você fica sem opções – A Casa de Lata é um ato de contestação, um dedão para o destino, para um mundo que aos poucos se degenera e desaparece. É um memorial ao alcoolismo e a vidas perdidas, mas também é um ato de criatividade que dá à vida do Phil uma razão de ser, que o ajuda a encontrar algum tipo de sentido.” (Em tradução livre.)

Pois é.

 

Sem mais artigos