Em 2017, o advogado Eli McCann ganhou uma festa de aniversário surpresa do seu então namorado, e atual marido, Skylar Westerdahl. Só que o tema da celebração era seu próprio funeral.

Apesar de parecer uma brincadeira de mau gosto, o aniversariante adorou a ideia e entendeu o propósito: “as pessoas não deveriam morrer para seus amigos se reunirem e falerem por que as amavam”, explicou o organizador na época.

A experiência mórbida – e fofa – foi compartilhada por Eli no Twitter, na última quarta-feira (21).

“Ele derrete meu coração constantemente, especialmente quando suas demonstrações de amor ficam estranhas”, declarou o advogado de Salt Lake City, capital do estado norte-americano de Utah.

A festa foi decorada com um caixão falso, feito com a tábua de passar roupas e algumas almofadas, fotos do aniversariante, velas, e montaram até mesmo um slideshow “em memória de Eli”.

Para tornar a experiência ainda mais genuína, Skylar instruiu os convidados a vestirem roupas da cor preta e ignorarem Eli, para que ele se sentisse “como um fantasma em seu próprio funeral”.

Ao jornal MirrorOnline, o aniversariante contou que o então namorado havia pedido para que ele se arrumasse, pois iriam jantar. “20 minutos depois, chegamos na casa de um amigo e eu vi que todas as janelas estavam fechadas e bloqueadas com as cortinas, algo que era bem estranho”, relembra.

A cena que se viu ao entrar na casa o deixou sem palavras: cerca de 15 amigos vestidos com roupas pretas, sentados e fingindo que estavam chorando.

“Meu marido imediatamente se sentou e um amigo, vestido como um padre, levantou-se e deu boas-vindas ao meu funeral. Todos fingiram que não estavam me vendo ou ouvindo durante toda a cerimônia […] Quando percebi que estavam me ignorando, só sentei e acompanhei o evento. Foi tão charmoso, engraçado e mórbido, e eu amei cada segundo”, relatou.

A própria mãe do aniversariante ajudou a organizar a festa.

A cerimônia durou cerca de 30 minutos. Após o encerramento, a celebração começou e os amigos pararam de ignorar o “fantasma” de Eli. “Foi perfeito”, resumiu o advogado.

A demonstração incomum de carinho só fez Eli se apaixonar ainda mais pelo marido. “Ele é criativo e encantador, honestamente, não sei como tive tanta sorte em encontrá-lo”.

Sem mais artigos