No começo de outubro foram descobertas fotos de um bebê preso na parede com fita adesiva. Jayla Hamm, a mãe adolescente, “achou que seria engraçado”. Ela foi sentenciada a 10 dias na cadeia.

Jayla Hamm, 18, e o seu namorado Corde Honea, de 19 anos, prenderam o bebê de 22 meses na parede com fita adesiva. As fotos mostram a posição desconfortável da criança e a fita colada diretamente sobre a sua pele.

A polícia de Nebraska, Estados Unidos, disse que o casal estava doidão quando usou a criança como brinquedo, e pelas imagens dá para perceber que eles não tinham a menor noção do erro que estavam cometendo.

Hamm mostrou as fotos para um amigo que teve o bom senso de reenviá-las para a polícia. Os procuradores disseram durante o julgamento que a expressão no rosto da criança é “aterrorizada”, as imagens que você vê aqui estão borradas para preservar a intimidade do bebê.

Hamm foi condenada essa semana a passar 10 dias na cadeia e mais dois anos em condicional, enquanto isso o bebê  ficará sob guarda de sua avó. Honea, o namorado sem noção, rodou mais ainda, pegando 36 a 60 meses de prisão, com sentenças separadas por furto e posse ilegal de armas de fogo.

Essa semana a gente reparou no capítulo Castigo do verbete Chinelo na Wikipédia, que mesmo que esteja escrita de uma forma engraçada, é muito verdadeira. Violência como forma de disciplinar é muito errada, mas violência como diversão, é absurdo.

Sem mais artigos