Muitos dos estabelecimentos comerciais e pubs de Londres ficaram fechados nesta terça-feira por causa dos distúrbios e as autoridades recomendaram aos moradores de alguns bairros que evitassem sair de casa.

Enquanto o Governo britânico decidiu mobilizar nesta terça-feira 16 mil policiais por toda a cidade para tentar conter a violência e as pilhagens, a maioria dos pequenos comércios das regiões afetadas preferiu não abrir suas portas ou fechar no início da tarde, enquanto muitas empresas liberaram seus funcionários mais cedo.

A noite de segunda-feira foi a mais violenta desde os distúrbios de sábado no bairro de Tottenham (norte de Londres), que se expandiram a outras regiões da capital e a outras cidades do Reino Unido.

As medidas de precaução abrangeram ainda alguns teatros de Londres, que decidiram cancelar suas apresentações desta noite para evitar possíveis atos de vandalismo.

Muitos pubs típicos de Londres também preferiram fechar mais cedo em regiões de maior atividade noturna da capital britânica, como em Angel, onde as autoridades recomendaram que as pessoas só saíssem às ruas em caso absolutamente necessário.

Além disso, a Polícia pediu aos pais com filhos mais novos que colaborem e se assegurem de que os eles não estão envolvidos nos distúrbios, protagonizados em muitos casos por jovens de cerca de 20 anos encapuzados.

O presidente da federação de pequenos comércios do Reino unido, Andrew Cave, declarou nesta terça-feira à BBC que é “extremamente difícil” calcular as perdas, mas estimou que podem chegar a centenas de milhões de libras.

Por sua vez, a associação de supermercados calculou em 93 os estabelecimentos afetados.

Segundo o jornal The Guardian, no bairro de Haringey, cerca de 200 comerciantes junto a familiares e amigos se organizaram para enfrentar possíveis ataques.

Além disso, várias empresas de Londres liberaram seus funcionários mais cedo com o objetivo de evitar concentrações nas ruas nos horários de pico.

Em algumas regiões, a Polícia pediu às empresas de táxis que não levassem mais de quatro passageiros jovens juntos para evitar possíveis incidentes. 

Sem mais artigos