A Polícia Militar de São Paulo anunciou nesta sexta-feira (21) que destacará neste sábado (22), pela primeira vez, um grupo de policiais praticantes de artes marciais para monitorar um protesto convocado na cidade contra a organização da Copa do Mundo de 2014.

O objetivo do destacamento, que não utilizará armas de fogo, se centrará em identificar pessoas que cometam atos de vandalismo durante a manifestação e retirá-las para manter a ordem no protesto, de acordo com a PM.

“Esse pelotão atuará de maneira pontual e vai utilizar recursos menos agressivos”, afirmou a jornalistas o porta-voz Emerson Massera, acrescentando que a reação da polícia será proporcional à agressão que eventualmente se cometa.

Segundo Massera, caso a chamada Tropa de Braço não consiga conter os atos de violência, serão ativados outros soldados, autorizados a utilizar gás de pimenta e bombas de gás lacrimogêneo.

Faltando quatro meses para que comece a Copa, no dia 12 de junho, a cidade de São Paulo espera no sábado uma nova jornada de protestos, para a qual mais de 13 mil pessoas confirmaram sua presença até o momento através das redes sociais.

Em outra manifestação contra a Copa no último mês de janeiro em São Paulo, 130 pessoas foram detidas durante o confronto contra a polícia. Além disso, um jovem foi baleado por três policiais depois que tentou escapar da detenção.

Sem mais artigos