A primeira vez que Wener Segarra foi ao México, foi como estudante de um programa de intercâmbio de ensino médio, pelo Estado do Arizona, em 1981. Lá teve contato com uma comunidade de Vaqueros – quase similar aos vaqueiros que temos aqui. Ele não tinha ideia de que essa viagem e esse contato transformaria sua vida e resultaria em um projeto fotográfico incrível.

Ao encontrar pessoas que viviam em famílias muito unidas e trabalhadoras, onde garotos mais novos que eles já sabiam tomar conta de um rancho inteiro, sua percepção de mundo mudou radicamente. “Eu era tipo um pequeno punk, que tocava guitarra e ouvia Black Flag. Ver aquelas pessoas impactou minha vida”, disse Werner ao New York Times. 

Ao longo dos anos, o fotógrafo voltou diversas vezes para a pequena comunidade de 1.000 habitantes, com a intenção de documentar um modo de vida em que a tradição é muito forte. “Eu tenho cultivado uma relação íntima com a comunidade e com seu povo, o que me permite registrar o ambiente do Vaquero de uma forma que seria difícil para alguém que estivesse só de passagem”, disse, segundo informa o “Daily Mail”.

Ele se inspirou para começar o projeto depois de ter viajado, em 1999, para casa de sua mãe e de ter encontrado, lá, uma caixa de fotografias de sua primeira viagem. Desde então, viajou regularmente para a comunidade para registrar momentos próprias da vida em comunidade. 

O jornal “Daily Mail” separou algumas imagens do projeto fotográfico de Wener e o Vírgula Inacreditável traz para você; clique na imagem acima para ver.

Sem mais artigos