Lalá diz: Ah, miguxa, a gente se conhece há tão pouco tempo, né?
Rackizinha diz: Eh mesmo! Mas, para mim parece uma eternidade…
Lalá diz: E a gente se odiava antes. Não faz nem 1 mês e a gente já eh melhor amiga uma da outra!
Rackizinha diz: É mesmo! Vc sabe que eu te amo né?
Lalá diz: Sei! Eu tbm te amo, miguxa.

A internet trouxe muitas facilidades para a população de uma forma geral. Fazer compras, pesquisar a vida de outras pessoas e até marcar encontros tornaram-se atividades corriqueiras para os usuários da rede.

Para os adolescentes, conversar em tempo real por vídeo, áudio ou texto, praticamente acabou com as conversas por telefone (e até mesmo pessoalmente, em alguns casos). Com isso, demonstrar sentimentos e dizer algumas verdades ficou muito mais fácil. A expressão “eu te amo” tornou-se banal.

“Uma garota da minha faculdade minha vive mandando depoimentos e recados no Orkut dizendo que ama todo mundo. Um dia, pedi uma carona para ela e não deu outra: quando abri meu Orkut, lá estava um recado dela: ‘te amo para sempre, best friend’. Não dá para acreditar, nós só conversamos por cinco minutos”, diz Jorge Magalhães, 21 anos.

Toda essa facilidade de se expressar pela internet acabou confundindo – as já confusas – cabeças dos jovens. “Conheci um cara na balada e ele pediu meu messenger. Começamos a nos falar e marcamos outra baladinha. Depois de pouco tempo ele me pediu em namoro. Eu achei que estava completamente apaixonada. Durante seis meses nós nos vimos umas quatro vezes. Depois, fui descobrir que ele me traía muito! Fiquei confusa e muito, muito mal”, afirma a recepcionista Leila Ignácio, 23 anos.

Se usada corretamente, a internet pode ser uma ótima ferramenta de pesquisa e, até mesmo, para reencontrar velhos amigos ou manter contato com parentes distantes.

Sem mais artigos