Um museu na Georgia (EUA) não permitiu que uma menina com condição neurológica especial pudesse visitá-lo porque eles consideraram que a cadeira de rodas poderia sujar os tapetes. Lexi Haas tem Kernicterus, um distúrbio neurológico que causa paralisia cerebral. Apesar de estar em uma cadeira de rodas por conta da disfunção física, ela é bastante ativa.

Sua família sabia que poderia ser complicado visitar os navios do Museu do Mar, em Savannah, Georgia, por causa da arquitetura antiga do edifício. Só que não imaginaram que a acessibilidade seria impedida por um motivo tão aviltante. O pai de Lexi, Ken, escreveu sobre a experiência estranha na página da garota no Facebook.

Como a história de Lexi começou a ganhar a atenção (e a indignação) de muitas pessoas, uma TV local descobriu que a família Haas não foi a primeira família a ser afastada do museu por causa de cadeiras de rodas.

O diretor executivo do museu Tony Pizzo escreveu uma carta para a família Haas, pedindo desculpas pelo incidente: “É especialmente doloroso para nós que uma menina de onze anos de idade tenha experimentado esta rejeição insensível”. O site do museu afirma que pode acomodar as pessoas com necessidades especiais e tem uma cadeira de rodas no local para as pessoas que precisarem, mas é preciso reservar previamente.

A família Haas disse que não vai apresentar queixa formal, mas apenas queria chamar a atenção para que todos saibam que este tipo de coisa é inaceitável.

Sem mais artigos