A HMP Usk prisão do Reino Unido para onde vão criminosos condenados por crimes violentos e de cunho sexual – oferece aos detentos uma videoteca, onde é possível retirar filmes que contém temática semelhante aos delitos cometidos por seus presos.

 

A divulgação da informação gerou polêmica e indignação nos britânicos. Entre os 550 filmes disponíveis estão títulos como O Silêncio dos Inocentes – cuja trama se desenvolve em cima do personagem Hannibal Lacter, um dos maiores assassinos da sétima arte. 

“Esses filmes claramente não deveriam estar à disposição de presos. A maioria das películas, que devem manter os detentos entretidos, está completamente inadequada ao público. É difícil conseguir fazer com que os prisioneiros cumpram a lei se você mostra filmes que exaltam seus feitos”, disse Glyn Travis, da Associação de Funcionários das Prisões ao “The Sun”. 

Para David Davies, membro do Parlamento de Monmouth, a situação é muito preocupante. “O propósito de Usk é reabilitar criminosos sexuais. É muito difícil fazer isso de qualquer maneira, sem filmes violentos”. 

O sistema prisional afirma que o acesso aos DVDs está ligada ao bom comportamento dos presos e que os gestores da prisão podem proibir o material inadequado. 

Sem mais artigos