O poder transformador da arte e a necessidade de articular mensagens para conscientizar as pessoas sobre o meio ambiente são as bases de uma iniciativa que pretende pintar, decorar e levar segurança às carroças usadas pelos coletores de materiais recicláveis das ruas de São Paulo.

 

O projeto, batizado como “Pimp my Carroça“, será realizado no próximo mês de junho durante a Virada Sustentável, um evento de educação sobre o meio ambiente que usa a cultura como ferramenta de conscientização social.

O nome usado pela iniciativa é inspirado no programa americano “Pimp my Ride“, onde os participantes possuem seus carros transformados em verdadeiras máquinas.

Por trás da ideia do “Pimp my Carroça” aparece o grafiteiro Mundano, que, nos últimos cinco anos, pintou mais de 150 carroças por todo Brasil. No entanto, dessa vez objetivo do artista, de 26 anos, é desenvolver um projeto mais ambicioso.

“Agora busco uma ação coletiva, com mais participantes e mais artistas”, disse à “Agência Efe” Mundano.

Segundo Mundano, o projeto, que se encontra em fase de arrecadação de fundos, possui o objetivo de reunir cerca de 50 artistas para pintar e decorar as carroças dos coletores de materiais recicláveis com mensagens de conscientização social.

Além da decoração, o projeto também visa instalar alguns itens de segurança nas tais carroças, como espelhos retrovisores, luzes, adesivos refletivo e buzinas. A ideia é oferecer mais segurança aos trabalhadores.

Os coletores de materiais recicláveis ainda passarão por exames médicos, receberão almoço e serão premiados com uma camiseta do projeto. Segundo o artista, trata-se de um “protesto artístico” para mais visibilidade aos trabalhadores que “estão fazendo um serviço para a comunidade” e dar oportunidade “aos coletores e a população andarilha”.

Apesar de reconhecer que este tipo de iniciativa não supõe uma solução ideal ao problema da marginalidade, o artista ressalta que pelo menos o projeto se preocupa em oferecer mais segurança e reconhecimento para esses trabalhadores.

Segundo os números do projeto, em São Paulo existem aproximadamente 20 mil catadores informais de materiais recicláveis, sendo que a cidade gera 17 mil toneladas de lixo por dia, das quais somente 1% é reciclada.

Para conseguir tirar esse projeto do papel, o artista já arrecadou R$ 12.378, dos R$ 38.200 que é necessário, segundo a organização.

A ação do “Pimp my Carroça” poderá ser conferida entre os dias 2 e 3 de junho, durante a Virada Sustentável, um evento que reúne espetáculos de música, teatro, dança e exposições em São Paulo. Neste ano, a Virada Sustentável, como o nome já adianta, terá o meio ambiente como pano de fundo.

A Virada Sustentável, que conta com o apoio de administrações públicas municipais, empresas privadas e organizações da sociedade civil, será realizado poucos dias antes da Conferência da ONU sobre o Desenvolvimento Sustentável (Rio+20), que ocorrerá no Rio de Janeiro entre os dias 20 e 22 de junho.

O evento paralelo de São Paulo quer ser uma espécie de laboratório de práticas sustentáveis que “usa a arte como ferramenta” de conscientização, explicou à “Agência Efe” um dos responsáveis pela Virada, André Palhano.

“Este tipo de programa possui o mérito de sensibilizar as pessoas pelo coração”, afirma Palhano, que destaca que a iniciativa do “Pimp my Carroça” prevê o uso das disciplinas artísticas como mecanismo de resgate social. 

Sem mais artigos