Não bastasse o chefe de polícia da Chechênia, Nazhud Guchigov, de 47 anos, ter forçado a adolescente Kheda Goylabiyeva, de 17, a se casar com ele, Pavel Astakhov, a maior autoridade na área de proteção a menores da Rússia piorou a situação.

Astakhov, comissário para o Direito dos Menores indicado pelo presidente Vladimir Putin, disse: “Não vamos ser puritanos. Emancipação e maturidade sexual acontecem mais cedo no Cáucaso. Há lugares em que as mulheres tem rugas aos 27 anos e parecem ter 50 pelos nossos padrões”.

Sim, vocês leram certo. Um político russo, um dos países que nos últimos anos mais rechaça os direitos homossexuais, recomendou ao povo evitar o puritanismo. Vai ver Pavel, ele próprio um respeitável senhor de 48 anos, se compadeceu do encanto do colega pelas novinha.


Vale explicar que a Chechênia é uma república ligada à Rússia na região do Cáucaso.

A afirmação, claro, não passou batida. Jovens russas e chechenas correram ao Instagram, onde postaram fotos com o rosto enrugado, para protestar.

Ah! A história tem mais alguns detalhes interessantes. Nazhud Guchigov já tinha uma esposa. Ele ameaçou a família da adolescente caso ela não se casasse com ele. É amigo pessoal de Ramzan Kadyrov, presidente da Chechênia, que apareceu na cerimônia e dançou uma valsa com a noiva infeliz.

Sobre os protestos, Kadyrov disse: “Homens, tirem suas mulheres do WhatsApp.”

É, amiguis. Tá ruim aqui, mas lá tá pior.

Sem mais artigos