Depois da polêmica no Canadá, a “Marcha das Vagabundas” (ou SlutWalk) chamou a atenção do mundo todo e, depois de passar por Argentina, Estados Unidos, Inglaterra, Holanda e Nova Zelândia, agora chega a São Paulo, cidade que tem servido como “anfitriã” das mais diversas manifestações e “marchas”. 

Mas você sabe mesmo o que está por trás da “Marcha das Vagabundas”, que acontece neste sábado em São Paulo? Não se preocupe, pois o Virgula conversou com a publicitária Madô Lopez, organizadora do evento, e te conta tudo!

Caso você não se lembre, tudo começou com um comentário de um policial canadense, que disse que os crimes sexuais acontecem porque as mulheres se vestem como vagabundas. Mas esse não é o motivo verdadeiro dos estupros e abusos sexuais. Falta segurança nas ruas e mudança de atitude. “O policiamento não dá conta, a marginalidade está crescendo brutalmente na cidade de São Paulo, é assustador”, desabafa a publicitária.

Madô, que sempre lutou pelos seus ideais, quando viu a oportunidade de organizar a “SlutWalk” em São Paulo, abraçou a causa: “Eu li a matéria sobre a SlutWalk em Toronto e achei que o Brasil merecia e precisava de uma versão aqui e, digo mais, que as mulheres de outras cidades do nosso país também tenham a iniciativa de liderar esta marcha em suas cidades”, conta a publicitária.

O motivo universal da “Marcha das Vagabundas” é o respeito às mulheres, a igualdade dos sexos e o fim do machismo. Segundo a organizadora, o evento não tem nenhuma relação com o Feminismo, mas critica abertamente o machismo, com motivos reais.  “O machismo é um câncer antiquado que precisa ser extirpado da sociedade. Pra mim machismo é preconceito e deve ser tratado como crime assim como racismo”, revela Madô, que tem o apoio de Solange De-Ré e Edu K na organização da marcha paulistana.

A “Marcha das Vagabundas” acontece neste sábado, dia 4 de junho, às 14h, na Praça do Ciclista, em São Paulo. Os manifestantes vão se reunir na praça (entre a Consolação e a Rebouças) e marchar pela Avenida Paulista até o MASP. O evento, criado também no Facebook, já tem mais de 5 mil confirmações!

“O Brasil precisa mudar as atitudes dos formadores de opinião, da mídia, dos líderes de grupos de trabalho, ou o que quer que seja. As atitudes de pais e mães, educadores, enfim, todos precisam ser mais civilizados, menos preconceituosos e transmitir isso para o próximo: respeito e civilidade”, afirma Madô.

Chicago e Los Angeles (EUA), Edmonton (Canadá), Estocolmo (Suécia), Amsterdã (Holanda) e Edimburgo (Escócia) também realizarão a “SlutWalk” neste sábado!

Para finalizar, um recado da organizadora a respeito da roupa que você deve vestir, “com que roupa eu vou na marcha”: “Não é um baile de carnaval e nem uma festa à fantasia. Que vistam-se como se vestem sempre, oras”.

Sem mais artigos