Final de jogo na Arena Corinthians: Corinthians 0 x 1 Figueirense. Sob forte chuva e tendo visto pouco futebol em campo, o torcedor corintiano saía frustrado de seu estádio recém-inaugurado. Este repórter os acompanhava de perto, após também ter assistido ao jogo (os corintianos eram maioria mesmo na arquibancada dos visitantes). Em breve, eu veria a destruição de uma das portas do Shopping Itaquera, vizinho do estádio, em um conflito entre seguranças do estabelecimento e torcedores.

Após muita caminhada, cansados, os torcedores chegaram à entrada do Shopping Itaquera, pelo metrô. Os portões estavam fechados com correntes. Quem vinha da Arena era avisado para seguir até a entrada principal do shopping, a cerca de 200 m dali. 

Chegando lá, vi um tumulto e ouvi esbravejos. O motivo: o Shopping Itaquera estava fechando aproximadamente às 18h30. Um aviso dizia que as áreas de “lazer e alimentação” ficariam abertas até 22h. “Corintiano não é bandido. E se eu quiser entrar no shopping para comprar uma camisa do meu time? Eu sou trabalhador. Quem está sem camisa de time está entrando sem problema”, reclamava um torcedor.

Enquanto os corintianos tentavam abrir a porta à força, ficava claro que os seguranças, que tentavam fechá-la, não faziam nada além de cumprir ordens. Os torcedores, porém, se sentiam ofendidos pela decisão de fechar o estabelecimento exatamente no momento em que os corintianos passariam por lá.

A força era tamanha que a porta enfim fechou, mas se quebrou com o impacto. As pessoas dentro do shopping se assustaram, e uma mulher não conseguiu sair para encontrar seu marido, que estava do lado de fora. Os ânimos não se acalmavam, e os seguranças precisaram abrir outra porta para liberar a saída de quem já estava lá dentro. 

Assim que a porta se abriu, mais confusão. As pessoas conseguiram sair, mas os seguranças foram alvos de xingamentos. Além disso, mais pessoas tentaram entrar.

Tudo terminou quando os portões automáticos desceram e selaram de vez o local. Alguns ameaçaram invadir o shopping, jogar pedras… mas nada passou de ameaças.

A 27 dias da Copa do Mundo, o estádio passou em seu primeiro teste. O brasileiro, que se vende como um povo pacífico, porém, deixou a desejar.

Tumulto na frente do Shopping Itaquera em dia de jogo do Corinthians

Sem mais artigos