Os casos confirmados de mortos na Alemanha pelo surto de uma perigosa variante da bactéria “Escherichia coli Enterohemorrágica” subiu para seis nesta sexta-feira, informaram autoridades sanitárias alemãs.

Além disso, já foram registrados 800 casos de infecção pela bactéria intestinal no país, a maioria deles em Hamburgo – sendo que 60 são qualificados como graves -, segundo o Instituto Robert Koch de Berlim, especializado neste tipo de análise.

Depois que três mulheres morreram em consequência da síndrome hemolítico-urêmica (HUS, na sigla em inglês) causada pelo germe, foi confirmada nesta sexta a morte de um homem de 38 anos também infectado pela bactéria, cujo corpo foi encontrado pelos bombeiros em seu apartamento de Hamburgo.

“O surto continua. De ontem pra hoje contabilizamos 60 novos casos de HUS, ou seja, de desenvolvimentos graves da infecção”, declarou o diretor do instituto, Reinhard Burger, à rede de televisão estatal ARD.

Ao longo de uma semana foram registrados tantos casos da infecção na Alemanha quanto os que normalmente se contabiliza em todo o ano. As autoridades sanitárias alemãs anunciaram na quinta-feira que o surto infeccioso tem sua origem em pepinos procedentes da Espanha comercializados no mercado central de Hamburgo, um grande centro de distribuição regional.

O foco foi detectado após a análise, entre outras verduras e legumes, de quatro pepinos escolhidos aleatoriamente no mercado central, sendo que três procediam da Espanha – um deles de cultivo biológico – e o outro da Holanda, segundo vários meios de comunicação locais.

A Comissão Europeia reconheceu nesta sexta-feira que a contaminação dos pepinos espanhóis pode ter ocorrido fora da Espanha. Por sua vez, o governo espanhol apresentou uma queixa perante Alemanha e a União Europeia pelo processo seguido após o surto infeccioso atribuído a pepinos espanhóis.

O secretário de Estado de Meio Rural e Água, Josep Puxeu, informou que a Espanha já localizou a origem dos pepinos, que foram retirados de circulação “por precaução”.

“Já nos queixamos à Alemanha e à União Europeia”, afirmou Puxeu após lembrar que diante deste tipo de situações “é preciso ser muito rigoroso” e “absolutamente excelente”.

Já a senadora de Saúde de Hamburgo, Cornelia Prüfer-Storcks, descartou a possibilidade de que os pepinos espanhóis tenham se contaminado ao cair no chão enquanto eram descarregados no mercado central da cidade, já que as análises foram realizadas em diferentes lugares.

ATUALIZAÇÃO – Sobe para 11 o número de mortos por bactéria intestinal na Alemanha – 30/05/11

Enquanto isso, os casos de infecção pela bactéria intestinal já chegam a 1,2 mil, informou o Instituto Robert Koch de Berlim.Na última sexta-feira, o número de mortos pela síndrome hemolítica-umérica (SUH), provocada por este germe somava seis. No fim de semana, no entanto, aumentou para dez, todos no norte da Alemanha. A nova vítima é uma mulher de 91 anos, da cidade de Paderborn, a primeira nesse estado federado no oeste do país. 

Sobe para 6 número de mortos pelo surto de bactéria intestinal na Alemanha

Sem mais artigos