Durante o dia ela tem uma dieta regrada e bem balanceada, mas assim que a noite cai e ela adormece, todos os esforços vão por água abaixo. Lesley Cusack, de 55 anos, “assalta” a geladeira e come até 2.500 calorias, durante ataques de sonambulismo. 

A mãe de três filhos, conta ao “Daily Mail”, que sofre de distúrbios alimentares relacionados ao sono há 30 anos e isso faz com que ela coma grandes quantidades enquanto dorme. Ela só percebe que comeu durante a noite, porque encontra os pacotes vazios pela casa na manhã seguinte, e se sente muito envergonhada com isso. 

Além do perigo de se machucar, Lesley ainda sofre com os quilos a mais que vai ganhando como resultado dos “saques”. Divorciada e morando sozinha, todas as manhãs ela faz uma inspeção na cozinha para descobrir o que comeu durante a noite. “Costumo encontrar latas abertas ou pacotes de coias que não tenho ideia se comi frios ou não. Estou tentando perder peso, mas é uma batalha constante. Eu posso seguir uma dieta à risca, mas à noite não consigo controlar”, explica. 

Com as noites perturbadas, ela constantemente acorda exausta, com dores no estômago e enjoos. Segundo ela, a única vez que se acordou durante o “assalto”, foi na noite em que comeu tinta. 

“A proporção de adultos sonâmbulos que comem e até mesmo cozinham enquanto estão dormindo é muito grande. Muitas vezes eles consomem alimento que não gostam. O ganho de peso e a culpa são consequências comuns”, explicou Dr. Paul Reading, presidente da Sociedade Britânica do Sono e neurologista consultor do Hospital Universitário James Cook, de Middlesbrough

“Viver com algo que ninguém vê, mas que afeta minha vida, é muitas vezes insuportável. Deve existir mais gente com esse problema. Não posso ser a única pessoa”, diz Lesley entristecida. 

Sem mais artigos