Lixo eletrônico cresce 33% ao ano

Divulgação Lixo eletrônico cresce 33% ao ano

Os organizadores dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 planejam utilizar componentes de celulares descartados e lixo eletrônico para fabricar as medalhas de ouro, a prata e o bronze, de acordo com o Nikkei Asian Review. Espera-se que as 650 mil toneladas de lixo eletrônico geradas a cada ano possa suprir a demanda pelos metais e evitar a importação, já que o país é pobre em recurs0s naturais.

O Comitê Olímpico Internacional determina que cada medalha de ouro tenha ao menos menos seis gramas de ouro 24 quilates. No Rio, as medalhas de ouro tinham a seguinte composição: 92,5% de prata, 6,16% de cobre e 1,34% de ouro.

Um relatório da ONU, de 2013, afirmou que o volume de lixo eletrônico devem crescer 33% até 2017. A organização alertou que o lixo eletrônico aumenta as chances de que materiais tóxicos, como chumbo e mercúrio contaminem o solo e a água.

Sem mais artigos