Romeu Tuma Jr (delegado especialista em segurança), Joaquim Neto (proprietário de casa noturna), Domenico Rizzo (chefe de segurança em casa noturnas), Leo Viga (organizador de eventos), falando sobre a tragédia de Santa Maria.

QUEBRA-GALHOS

Romeu Tuma Jr: É uma sucessão de quebra-galhos que leva à uma tragédia dessa. Na internet, há vídeos dessa mesma banda, tocando na mesma casa, usando pirotecnia e por sorte…
Bola: Não aconteceu nada.
Romeu Tuma Jr: Então é por aquilo, por sorte que as coisas não acontecem. Tem um dia que junta 30 fatores, no outro 29 e não acontece. Temos a legislação, o que falta é segui-la.
Romeu Tuma Jr: Todo mundo sabia quantas pessoas iam. Vê se a casa comporta o número de pessoas, vê se a banda tem costume de utilizar algum artifício…

CASAS DE SHOW

Romeu Tuma Jr: O que nós precisamos deixar anotado é que as casas de shows, afim de baratear o custo. Nessas horas, nós vemos que esse barateamento de custo não compensa.
Romeu Tuma Jr: Você coloca o porteiro da boate como segurança, então vira e mexe você vê jovens brigando com esses porteiros, ocasionando confusões…
Carioca: Mortes.
Evandro: Brigas.
Romeu Tuma Jr: Aquele cara que fica na porta se acha um policial. As casas noturnas precisam ter grupos de segurança. Uns treinados para fazer evasão em caso de pânico, que saiba lidar com o público.
Romeu Tuma Jr: Outra coisa é a segurança física do local. Aquele que se preocupa com acesso e saída do local.
Bola: Sem contar que segurança parece bombeiro também.

SEM SAÍDA?

Emilio: Não posso acreditar que essa casa, que parece ser famosa, cheia de universitários… Santa Maria é uma cidade famosa.
Carioca: 180 mil habitantes.
Emilio: Lá já tiveram muitas festas. Não é possível que lá não tenha uma saída de emergência! Igreja tem! Ela não tem mesmo?
Bola: É a mesma da entrada.
Romeu Tuma Jr: Precisamos esperar o laudo, mas o que consta, não tem!

Sem mais artigos