Três irmãs menores de idade foram atacadas com ácido na província de Kunduz, no norte do Afeganistão, como vingança pela recusa de uma das meninas a se casar com um homem, informou nesta quarta-feira (30) à Agência Efe uma fonte oficial.

Os agressores, familiares do pretendente recusado, entraram de madrugada na casa da jovem, e após baterem nos familiares homens, jogaram ácido nas menores de 8,12 e 17 anos, declarou a diretora do Departamento da Mulher de Kunduz, Nadira Gia.

LEIA TAMBÉM: Guia sexual para esposas muçulmanas estimula o prazer em grupo

A mãe das vítimas disse abertamente conhecer os agressores e a razão pela qual foram atacadas: “Pediram minha filha mais velha em casamento e eu neguei”. A menina estava comprometida com outro homem e tinha marcado o casamento para a próxima semana.

A Missão de Assistência das Nações Unidas no Afeganistão (Unama) afirmou há poucos dias que “ainda há um longo caminho a ser percorrido” na aplicação da legislação que protege as mulheres afegãs contra a violência de gênero.

De acordo com este organismo, no Afeganistão as leis se chocam com práticas socialmente aceitas, como a compra e venda de mulheres para o casamento, as uniões infantis ou forçadas, os estupros e o “baad” (dar uma mulher de presente para resolver um conflito familiar).

A Comissão Afegã de Direitos Humanos registrou entre março de 2010 e março de 2011, 2.299 casos de violência contra a mulher que podem ser definidos como delitos segundo a Lei sobre Eliminação da Violência contra as Mulheres no Afeganistão.

Sem mais artigos