Na onda da androginia, vem o modelo sérvio Andrej Pejic que, com traços extremamente delicados, confunde quem vê seus editoriais nas revistas. Ele pode alternar e personificar homens e mulheres como poucos e, nas passarelas, desfila coleções femininas e masculinas – ele foi um dos destaques das últimas edições do Fashion Rio e da São Paulo Fashion Week. 

Esta semana em entrevista a revista Grazia, ele admitiu que não pode comer muito para se manter magro: “vamos ser sinceros. Você não pode comer muito se você quer fazer isso. Para fazer desfiles femininos eu tenho que ser disciplinado. Minha cintura foi de 73 a 63 centímetros e meu quadris estão com 88 centímetros”. 

Neste ano ele entrou na lista das 100 mulheres mais sexies do mundo da revista “FHM”. Pejic se tornou um símbolo da transformação nas imagens de moda, em que a diferença entre atitudes masculinas e femininas não importam tanto. Mas será que ele realmente precisa dessa neurose toda para se manter em forma?

Sem mais artigos