Desde a saída de John Galliano da maison Dior, após a confusão racista, vários nomes já foram cogitados para substituí-lo. Passaram pela lista: Alber Elbaz, da Lanvin; Nicolas Ghesquière, da Balenciaga; Sarah Burton, da Alexander McQueen; Haider Ackermann, Hedi Slimane e Riccardo Tisci, da Givenchy.

Agora, a mais recente aposta é Marc Jacobs e parece que as negociações estão a todo vapor. Será que dessa vez vai?

Segundo informações do WWD, publicadas nesta segunda-feira (22), Bernard Arnault, presidente do conglomerado LVMH, estaria disposto a retirar Jacobs da Louis Vuitton, para alavancar a Dior, que está sem estilista desde março.

E quem fica na Louis Vuitton se Jacobs sair? O principal nome cogitado é Phoebe Philo, hoje à frente da grife Celine, também da LVMH.

Marc Jacobs está na Louis Vuitton desde 1997 e conseguiu renovar a grife criada em 1854, sem perder sua essência, que inclui acessórios de couro como bolsas e malas que estão entre as mais desejadas pelos consumidores, com seu inconfundível logotipo.

De acordo com o WWD, não é de hoje a ideia de ter Jacobs á frente da Dior. Bernard Arnault já teria sugerido o estilista em meados dos anos 90, quando John Galliano comandava a Givenchy. “Se eu tivesse contratado Marc Jacobs para a Dior e John Galliano para a Louis Vuitton, a decisão não teria funcionado tão bem para ambas as marcas, mesmo sendo ambos gênios ao seu estilo”, disse Arnault ao site em 2003.

VEJA MAIS: Grandes estilistas que influenciam a moda

Sem mais artigos