A coleção da H&M inspirada na personagem Lisbeth Salander, do filme “The Girl With The Dragon Tattoo” está sendo acusado de glamourizar o estupro pela jornalista Natalie Karneef , que já foi vítima desse tipo de violência. 

No longa, Salander (interpretada por Rooney Mara) é estuprada na infância e se torna uma mulher misteriosa que se veste de maneira dark para afastar os homens. A H&M em parceria com a figurinista do filme, Trish Summerville, apostou em peças que remetem ao estilo da garota, colocando uma pitada chic, fato que deixou Karneef.

“Que mensagem a H&M quer enviar para o mundo? “Olhar para o sobrevivente de estupro na moda? Olhar o quão forte ela é, que ela pode passar por todo aquele inferno e ainda usar jaquetas de couro cool?”, escreveu a jornalista. 

A fast fashion  respondeu que a coleção representa “uma mulher forte que defende seus ideais” e que de forma alguma quis ofender as vítimas do estupro. “Nós não vemos esta coleção como provocativa. Nós encorajamos nossos clientes a encontrar seu próprio caminho ao usar nossos produtos”. 

“Se a H&M realmente acreditava na promoção da essência de mulheres independentes, deveria fazer doações a organizações que promovem a prevenção e ajudam os sobreviventes doestupro, e não criar uma linha de moda para glamourizar-lo”, completou Karneef.O que você acha da polêmica? Veja a coleção acima!

As informações são do Daily Mail.

Sem mais artigos