Eles aparecem no rosto sem avisos: pontinhos pretos ou erupções com a pontinha amarelada. Todo mundo já teve um dia e se não teve ainda terá. A espinha ou o cravo acontece quando a produção excessiva do sebo (gordura) entope os poros da pele. Com isso, o óleo não consegue sair e pode haver um crescimento de bactérias nas camadas internas da pele. Quando a infecção acontece, o pontinho preto que é o cravo vira uma espinha com ponta amarela.

Agora que você sabe o que é a espinha, que tal se livrar de alguns mitos que a rondam?

Masturbação: não existe nenhuma relação entre o ato sexual solitário e as espinhas. “O único fator em comum são que os dois, espinha e masturbação, costumam acontecer na puberdade”, explica o hebiatra responsável pela Unidade de Adolescentes do Instituto da Criança do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, Benito Lourenço.

Espremer ajuda a cicatrizar mais rápido: é justamente ao contrário. Ao espremer, as chances da cicatriz se tornar permanente aumentam em 50%. E o quadro infeccioso tende a piorar.

Sol seca cravos e espinhas: não porque o sol estimula ainda mais a oleosidade da pele e piora a infecção. Por isso, não saia de casa sem um protetor solar oil free.

Usar esponja ou bucha: pode irritar ainda mais a pele. Não use.

Lavar a pele com frequência: o ideal é lavar o rosto com água fria e  sabonete esfoliante com ácido salicílico, duas vezes ao dia. 

Sem mais artigos