O estilista John Galliano participou nesta quarta-feira (13) do talk show americano “Charlie Rose” e falou sobre o assunto polêmico da morte do designer Alexander McQueen, que cometeu suicídio em 2010 após consumir drogar e remédios controlados.

“Eu entendi. Aquela solidão, aquela dor. Fiquei muito triste”, disse ele, que estava visualmente muito diferente. No lugar do seu tradicional bigode, cabelo armado e solto e roupas extravagantes, ele surgiu de cara limpa, cabelo penteado e preso e terno com camisa azul. 

Essa foi sua primeira aparição na tv desde 2010, após ser acusado de anti-semitismo e por consequência ser demitido da Dior, na qual era diretor criativo da grife.

Atualmente, o designer tem trabalhado com uma organização contra a difamação dos judeus (Anti-Defamation League) para aprender com seus erros, e recentemente, passou três semanas no estúdio de Oscar de la Renta em Nova York, em uma tentativa de se readaptar com a indústria da moda. 

Em uma recente entrevista para a revista “Vanity Fair” Galliano falou sobre o assunto: “Parece um pouco bizarro, mas eu estou tão grato pelo que aconteceu”, diz ele. “Aprendi muito sobre mim. Tenho redescoberto aquele garotinho que tinha fome de criar, que eu acho que tinha perdido. Estou vivo”, declarou.

Sem mais artigos