As partículas solares, os vulcões, os povos da Amazônia e modelos de todas as idades foram os protagonistas do quinto e penúltimo dia da São Paulo Fashion Week.

O sol, representado com cristais, e os vulcões inspiraram o primeiro desfile desta segunda-feira, assinado pelo estilista Glória Coelho.

Glória usou sobre peças de veludo o couro, a pele de vaca e as transparências, que deram vida a tecidos que moldavam as elegantes modelos na passarela do Pavilhão da Bienal, no Parque do Ibirapuera.

Os ombros redondos, os impecáveis acabamentos nas bordas e os forros coloridos contribuíram para delinear as silhuetas das modelos.

No segundo desfile, da marca Maria Bonita, a estilista Danielle Jensen apresentou uma proposta feminina que combinou vários elementos, inclusive a austeridade e a masculinidade, mas todos inspirados nos povos da Amazônia, como índios, pescadores, produtores de borracha e agricultores.

Amplas em texturas e com figuras retangulares, algumas das peças nas quais predominaram as cores terra foram estampadas com imagens das paisagens da região.

Os penteados, a cargo de Celso Kamura, também evocaram a rica vegetação das selvas amazônicas.

No desfile posterior, da grife UMA, o retorno da estilista Raquel Davidowicz foi marcado pelos aplausos do público, conquistados pela presença na passarela de modelos de todas as idades, desde as adolescentes até as mulheres maduras e de cabelos brancos.

A programação de hoje continua com os desfiles dos estilistas João Pimenta e Lino Villaventura.

Sem mais artigos