No mês que vem, fará dois anos que John Galliano foi demitido como diretor criativo da Dior após ser condenado por insultos racistas e antissemitas. Afastado do mundo da moda desde o episódio, o estilista recebe uma segunda oportunidade de Oscar de la Renta e com a bênção de Anna Wintour.

O costureiro dominicano De la Renta anuncia hoje, no jornal “Women’s Wear Daily” (WWD), que terá como convidado durante três semanas John Galliano em seu estudo de Nova York.

“John e eu nos conhecemos há muito tempo e sou um grande admirador de seu talento. Trabalhou muito em sua recuperação e me alegro de poder proporcionar-lhe essa oportunidade de mergulhar de novo no mundo da moda e voltar a se adaptar a um meio em que foi tão criativo”, explica.

Galliano, de 52 anos, disse ao mesmo veículo que está reabilitado de sua dependência ao álcool e arrependido.

“Estive em reabilitação nos últimos dois anos. Antes da minha sobriedade, desci até a loucura da doença. Disse e fiz coisas que feriram os outros, especialmente membros da comunidade judaica. Manifestei meu pesar de forma privada e em público pelo prejuízo que causei e continuo manifestando. Estou comprometido a ressarcir a aqueles que feri”.

“Estou mais agradecido a Oscar do que posso expressar por me convidar a passar tempo com ele no meio familiar de um ateliê de moda. Seu apoio e sua fé em mim são uma lição de humildade”, conclui Galliano.

O jornal “WWD” relata que a volta ao círculo da moda do estilista gibraltarino foi orquestrada pela diretora da “Vogue EUA”, Anna Wintour. 

Sem mais artigos