Rossana Decelso lança “O Tonto e o Zorro”

Pensando em canções com um registro voltado à uma ideia especial de arranjo, Rossana Decelso chega com tudo com o single “O Tonto e o Zorro”, bem desapegado do conceito de disco.

A composição do paulistano Edvaldo Santana foi gravada pelo próprio em seu primeiro disco, LOBO SOLITÁRIO (1993/Gravadora Cameratti). O artista brinca com a fantasia do super-herói que salva fracos e oprimidos e também faz uma critica oportuna à sedução pelo poder. Edvaldo participou do movimento Lira Paulistana na década de 80 e tem parcerias com Tom Zé, Itamar Assumpção, Paulo Leminski, Haroldo de Campos e Arnaldo Antunes, entre outros.

Rossana sempre gostou da música que, apesar de composta em 1987, continua atual e especialmente emblemática para o momento politico que o país vive. “Muito tonto, muita zorra e pouco Zorro”.

O single segue a mesma pegada mais pop do segundo disco de Rossana, crítica, bem humorada e dançante. Para a produção da faixa, convidou o duo COPANS, formado por Érico Theobaldo e Roger Menn, que já tinham feito uma faixa no disco anterior (FUI, de Vander Lee). A cereja do bolo ficou por conta dos vocais criativos, que Rossana divide com a cantora Vange Milliet (Isca de Polícia).

O single chega ainda com videoclipe bem humorado (seu primeiro!), dirigido pela atriz e roteirista Eliana César e mostra, além da cantora se divertindo fantasiada de Zorro, a insatisfação e as manifestações populares que têm tomado as ruas pelo mundo afora. Participação especial do autor, Edvaldo Santana, fazendo embaixadinha, numa alusão a outro dom Diego, o Maradona.

Carreira

Como cantora, Rossana começou no final dos anos 80, em bares e festivais de Minas Gerais, especialmente em Belo Horizonte, sua cidade natal. Depois de conhecer Zeca Baleiro, iniciaram uma parceria de 21 anos em que, além de produzir o cantor e compositor maranhense, se dedicou a desvendar os meandros de uma carreira artística. Um caminho que a afastou do protagonismo dos palcos, mas onde também encontrou satisfação. Com Zeca Baleiro e também com o mineiro Vander Lee, teve as melhores vivências de amizade e parceria profissional.

Vivendo de música nos últimos 24 anos, ela já ocupou todas as frentes, só faltava mesmo voltar a cantar. Aproveitando a criação de seu próprio selo, Backing Stars, resolveu fazer sua reestreia como cantora.

O segundo cd, NÃO TENHA MEDO NÃO, produzido por ela mesma, com a coprodução do músico e produtor alagoano Fernando Nunes, reúne músicas de Zeca Baleiro a outros autores que a cantora admira, totalizando de 10 canções. No primeiro single, lançado em outubro de 2019, fez uma releitura de ACHO QUE VOU LHE ESQUECER, canção de Ed Wilson, sucesso nos anos 60 na voz de Wanderléa, em arranjo atualizado e executado pela banda Isca de Polícia. Em novembro, lançou FINJA, inédita de Zeca Baleiro e em dezembro lançou duas canções, uma regravação de FUI, do conterrâneo Vander Lee, gravada pelo próprio em 2009 e outra inédita de Baleiro, a divertida B.O. (Caso de Polícia).

Em fevereiro de 2020, lançou dueto com Zeca em arranjo de John Ulhoa para NÃO TENHA MEDO NÃO (que dá nome ao disco), do capixaba Sérgio Sampaio e em abril trouxe o blues inédito de Baleiro, ASSIM PRETO. No início de junho, lançou SIX O’CLOCK, música de Paul e Linda McCartney, a primeira do disco cantada em inglês e que virou um divertido manifesto feminista com participação de um coro de 20 vozes masculinas, entre artistas, músicos e amigos (André Abujamra, John Ulhoa, Mário Manga, Mauricio Pereira, Zeca Baleiro…)

Em julho de 2020, foi a vez de VIDA QUE NÃO PÁRA, música de Odair José, lançada pelo próprio em 1972, bem atual e sob medida para tempos de pandemia e desgoverno. Fã confessa de Odair, há tempos Rossana planejava uma releitura do artista, a música ganhou arranjo vigoroso, no melhor estilo rock’ n’ roll.

Em novembro, lançou DAYDREAM BELIEVER, clássico da banda The Monkees, em bossa, com participação de Lucinha Turnbull nos vocais e de Chico Lobo, com uma inusitada viola caipira. Em dezembro, fechou o lançamento do disco (o mais longo da estória!), com PERHAPS, outra inédita de Zeca Baleiro, num arranjo meio George Harrison. A canção saiu com o disco completo e assim como o primeiro disco, pode ser ouvido em todas as plataformas de música. Em 2022, Rossana espera cair na estrada com shows!

Sem mais artigos