Pete Doherty falou sobre sua relação com Amy Winehouse em entrevista ao jornal britânico Daily Mail. O ex-vocalista do Libertines afirmou que foi amante da cantora e o relacionamento acabou de forma abrupta. “Ainda é muito complicado. Foi o maior e melhor sentimento de todos. Amy ainda é o amor da minha vida “, disse. 

“É difícil assumir. Mas, sim, é verdade, nos éramos amantes. Eu a amei desde a primeira vez que a conheci. E, posso dizer com toda certeza, que ainda a amo. Depois que terminamos, como acontece com todo mundo, ela tornou-se uma pessoa amarga e cruel comigo.” 

Doherty também afirmou que a pressão da fama levou Amy para o perigoso caminho das drogas e álcool. “Ela estava com sérios problemas físicos e psicológicos”, lembrou. “Ela não conseguia siar de casa sem que um batalhão de ao menos 30 fotografos a seguisse. Se você somar tudo isso as drogas, tem uma equação fatal.” 

“A pressão da mídia e da opinião pública fez com que ela se afundasse cada vez mais nas drogas. Toda vez que ela abria um jornal e via fotos constrangedoras, tomava um garrafa de vodca, usava drogas, e depois saia de casa naquele estado. Era novamente fotografada e no dia seguinte via tudo nos jornais. Era um ciclo vicioso”, finalizou. 

Amy Winehouse foi encontrada morta em 23 de julho de 2011, em decorrência do consumo excessivo de álcool, no apartamento em que vivia em Londres. 



Sem mais artigos