Por meio de uma carta sutil e direta, Zac Farro, baterista e um dos fundadores do Paramore, mostrou que não concorda com o posicionamento homofóbico do irmão, Josh, que ocupou o cargo de guitarrista da banda até 2010.

Na noite da última quarta-feira (28), uma fã expôs um comentário do ex-integrante condenando a homossexualidade e até a comparando com a pedofilia. Por ser irmão do ex-guitarrista, Zac escreveu uma carta aos fãs LGBTQ+ para assegurar que tem “voz própria”: “e minha voz apoia nossa banda e nossos fãs”.

“Quero dizer que amo e apoio vocês todos, podem contar comigo, e acima de tudo, estou com vocês. Não tolero qualquer ação que não abrace e apoie nossa comunidade”, escreveu o baterista, sem se referir diretamente ao comentário de Josh.

Zac Farro, baterista do Paramore

Para a surpresa dos fãs, Zac acabou mencionando sua saída da banda. Em 2010, ele e o irmão deixaram o Paramore e Josh culpou a vocalista Hayley Williams pela decisão. Em seu blog, o ex-guitarrista afirmou que os outros integrantes eram tratados como “menos importantes” do que a frontwoman e mencionou discordâncias criativas que teriam tornado o clima insuportável.

Mas em sua mais recente carta, o baterista revelou que não concordava inteiramente com o post, mesmo que seu nome tivesse sido incluído na assinatura.

Formação original do Paramore, da esquerda para a direita: Jeremy Davis (ex-baixista), Josh Farro (ex-guitarrista), Hayley Williams (vocalista) e Zac Farro (baterista)

“Eu não fui informado previamente sobre o conteúdo total da mensagem. Estou falando abertamente sobre isso agora não apenas por ser o baterista fundador do Paramore, mas porque voltei à banda em 2016. Quero dizer que tenho minha própria voz e minha voz apoia nossa banda e nossos fãs, não palavras que me incluem em ações que não concordo”, relatou.

“Todos nós temos nossas próprias vozes e um poder dentro de nós mesmos. Vamos usá-lo pelo amor e paz, não pela separação e exclusão”, finalizou o baterista.

Após o vazamento do print, Hayley fez alguns posts que pareciam uma indireta ao ex-integrante.

“Há uma razão para terem sobrado apenas três pessoas no Paramore. Surpresa, haters, não é por minha causa.  O Paramore não tolera visões religiosas, políticas, dogmas que deixem nossos amigos, fãs e familiares LGBTQ+ se sentindo abandonados e sem esperança”, escreveu na ocasião.

Sem mais artigos