Bloco Ritaleena

Bruno Yanagizawa/Reprodução/Facebook Bloco Ritaleena

Hey Jude, se você odeia Carnanal, não fique assim. A cada ano crescem iniciativas voltadas para quem não aguenta mais ouvir as mesmas marchinhas de sempre. O legado de nomes como Beatles, Pink Floyd, Rita Lee, Los Hermanos, Leandro e Leonardo e Ramones inspira blocos pelo Brasil.

Dedicado à banda inglesa de hinos como The Wall, Whish You Were Here, Time e Shine on You Crazy Diamond, o Bloco do Pink Floyd atrai roqueiros a Pedralva, no Sul de Minas, há 20 anos.

A iniciativa se junta a outras, por todo Brasil, em que marchinhas e axé passam longe como Bloco do Sargento Pimenta, homenagem a Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band, dos Beatles; Bloco dos Malditos; Bloco Cru, Bloco pra Iaiá (que toca Los Hermanos), no Rio; Carnivalha, em Salvador; e o Quanta Ladeira, em Olinda.

Há algo de estranho no reino de Momo em São Paulo também. Um dos blocos que prometem ser um sucesso este ano é o Pinga Ni Mim, que estreia em 27 de fevereiro, na zona sul, com saída em Moema e chegada na Vila Nova Conceição. No repertório: nomes como Leandro e Leonardo, Maiara & Maraisa, mas axé e funk também podem rolar.

Outro bloco entre os mais conhecidos neste perfil alternativo é o Bloco 77, que interpreta hinos do Sex Pistols, The Clash, Ramones, Ratos de Porão, Garotos Podres, Buzzcocks e Cólera em ritmo de Carnaval.

Há ainda o Ritaleena, dedicado à rainha do rock brasileiro, Rita Lee, que traz clássicos da deusa ruiva, como Panis et Circenses, Bem Me Quer, Mal Me Quer e Ovelha Negra. O ensaio geral está marcado para o dia 24, com concentração na frente do Bar Brahma.

Uma dica para quem pretende ficar odara é o Tarado ni Você, bloco do Carnaval de São Paulo que homenageia Caetano Veloso. Este samba tá diferente e nós estamos adorando.

Sem mais artigos