Arnold Klein, dermatologista de Michael Jackson, foi convocado pela junta médica da Califórnia a prestar depoimentos. O médico foi intimado com a alegação de que teria prescrito Demerol em excesso ao cantor, reporta o site TMZ.

Apesar de nunca ter sido acusado de conduta criminosa no caso da morte de Jackson, Klein terá que comparecer para um interrogatório que será realizado no dia 15 de dezembro.  Segundo algumas fontes, a junta pretende questionar o médico sobre afirmações de que ele teria dado amostras de remédios ilegalmente para pacientes famosos.

Para complicar ainda mais a vida de Klein, seu advogado Herbert L. Weinberg abandonou o caso. Nenhuma explicação oficial foi dada sobre a demissão de Weinberg, mas esse é um mau sinal para o médico.

No julgamento do Dr. Conrad Murray – médico que foi condenado por homicídio culposo na morte de Michael – a testemunha Robert Waldman revelou que Klein administrou ao cantor 900 miligramas de Demerol durante três dias, em maio de 2009.

Teria sido a aplicação desse medicamento que o levou a ter crises de abstinência e sintomas como ansiedade e insônia. O cantor tentou amenizar os sinais tomando o sedativo Propofol, que causou sua morte. Segundo Waldman, Klein deu a Jackson “doses generosas” de Demerol que não eram necessárias em seu tratamento facial com Botox.

LEIA MAIS: Filha de Michael Jackson investirá em carreira de atriz

Médico de Michael Jackson vai recorrer da sentença

Sem mais artigos