Você já leu aqui no Virgula sobre os artistas gringos que poderão vir tocar no Skol. São 14 nomes poderosos da música eletrônica internacional, de gêneros como electro, house, techno e trance – com espaço até para um pouco de metal (que é o caso do Pendulum, que tromba drum’n’bass com rock pesado). Como você bem sabe, o público vai selecionar sete desses 14 artistas para compor o lineup definitivo do evento.

E os nacionais? Bem, eles são tão importantes para o evento quanto os convidados gringos. Afinal, são nomes como Marky e Patife que sempre garantiram que a tenda de drum’n’bass fosse a mais lotada do evento. E quem pode esquecer dos históricos sets do Mau Mau ou do Anderson Noise fechando as edições de 2002 e 2003, levando todo mundo à loucura nas primeiras horas da manhã.

Para este ano, a organização preparou um “shortlist” bem empolgante, cobrindo diferentes vertentes, incluindo nomes consagrados e revelações. A seguir, a gente dá uma geral nos nomes brasileiros para ajudar você na hora de escolher as atrações que você quer ver no Skol Beats.

ANDERSON NOISE O veterano de BH foi um dos responsáveis por levar o techno brasileiro para o exterior, como DJ e através do seu selo Noise Music. Em 2007, Noise foi o único brauzca a constar da lista dos melhores DJs do mundo da revista DJ Mag, ficando em 54o.

FABRICIO PEÇANHA Esse gaúcho é um dos DJs mais requisitados do Brasil. No sul, em especial, Fabrício é o rei incontestável. Seu set, que mistura house, techno e electro, é presença garantida em clubes como Warung e Vibe e eventos como o festival Planeta Atlântida.

GUI BORATTO Em 2007, só deu Gui Boratto nos cases dos DJs de todo o mundo. O minimal techno, com ocasional toque pop, desse produtor paulistano conquistou o planeta. Apadrinhado do selo alemão Kompakt, que lançou seu elogiado álbum “Chromophobia”, Gui vive pelos aeroportos e festivais do mundo.

KILLER ON THE DANCEFLOOR A dupla Philip A e Fatu é boa de festa! Dedicada a sets que podem misturar de Justice a Michael Jackson, de Nelly Furtado a Daft Punk, a dupla vem dando muito o que falar. São legítimos representantes nacionais da tendência new rave/maximal.

MAGAL Este legítimo pioneiro da cena brasileira acaba de celebrar 25 anos de discotecagem. Já passou por todas as casas e eventos importantes do país. Hoje ele é residente do D-Edge e do Vegas e faz um som bem puxado para o techno. Mas pede pra ele tocar uns clássicos que ele arrebenta do mesmo jeito!

MARKY Um dos maiores DJs do mundo, ponto. Marky levou o drum’n’bass brazuca para o exterior, com seu hit “Carolina Carol Bela”, e, de quebra, arrebatou as platéias do mundo com sua discotecagem sobre-humana. Marky nunca pode faltar no Skol Beats e seu set é sempre um dos destaques do evento.

MARIO FISCHETTI Representante da house music, Mario chama a atenção por onde passa com seu set fino e sintonizado com o melhor que se faz lá fora. Em 2004, levou o prêmio de melhor DJ de house da DJ Sound Awards. E o Brasil assina embaixo, com o DJ tocando sempre nas melhores casas noturnas.

MIXHELL Dupla formada por Iggor Cavalera e sua mulher, Laima Leyton. Toda a experiência e vigor do ex-baterista do Sepultura mais o feeling e carisma de Laima se traduzem em sets eletrônicos “maximalistas” e cheios de energia. O Mixhell não para mais aqui então são imperdíveis toda vez que aparecem.

MONTAGE Banda sensação do rock atual. Direto do Crato, Ceará, para conquistar o Brasil veio esse bando que sabe como sacudir a festa. A peça-chave é, claro, o provocador e carismático vocalista Daniel Peixoto. Acabam de lançar o álbum “I Trust My Dealer”.

MURPHY Este paulista é um titã do techno, verdadeiro monstro das pick-ups. Murphy arrasa nos scratches, toca com três, quatro pick-ups, faz o diabo. Passa boa parte do seu tempo na Europa agora, tocando em grandes festivais. Foi eleito pelo público alemão um dos melhores DJ de 2007

RENATO RATIER O dono do D-Edge, uma dos melhores clubes do mundo (são os gringos que dizem), é também um DJ de mão cheia. Requisitado no país inteiro e com bastante milhagem internacional também, Renato balança a pista com nu-disco, house e techno.

RICARDO GUEDES Outro veterano mais que reconhecido das pistas nacionais. Guedes põe a mão no peito quando se toca house music, que é sua pátria, sua religião, sua casa. Com domínio de pista e técnica que só os anos conseguem forjar, Guedes continua 100% na ativa como DJ e produtor.

THE TWELVES De Niterói, vem uma das grandes promessas da eletrônica nacional, com um electro-pop que pega na veia. Os gringos estão de olho: os Twelves já fizeram remixes para New Young Pony Club, Black Kids e Yelle. Eles recentemente abriram para o Groove Armada em São Paulo.

WRECKED MACHINES Herói do psy-trance nacional, o paulista Gabriel Serrasqueiro é presença certa em mega-eventos como XXXPerience, Tribe e Universo Paralello. Em seus dois álbuns que contém muitos sucessos de raves, Gabriel expande os limites do psy para abrigar influências de outros estilos.

Confira os brasileiros no Skol Beats

Sem mais artigos