Países de longa tradição musical, como a Nigéria e o Mali, têm sofrido ameaças de grupos radicais islâmicos, como o Boko Haram, que agora ganhou o noticiário após o sequestro de mais de 200 meninas, entre 16 e 18 anos.

Em pronunciamento na TV neste sábado (10), em ocasião do Dia das Mães, a primeira-dama dos Estados Unidos, Michelle Obama, disse que o sequestro em massa de crianças é parte de um espectro mais amplo de ameaças e intimidação de garotas que buscam a educação, o que considerou um direito ao nascer. Ela se juntou ao coro de milhares de pessoas que clamaram pela volta das garotas nas redes sociais esta semana.

A violência e a intolerância política e religiosa não é um tema novo na Nigéria, como podemos perceber nas música de Fela Anikulapo Ransome Kuti (1938-1997). O cantor, compositor e multi-instrunentista é geralmente apontado como criador do afro beat. No fim da vida, porém, ele dizia fazer música clássica africana.

Fela deixou os filhos Femi e Seun e seu parceiro e baterista Tony Allen. Ele se tornou, no entanto cada vez mais famoso desde que morreu, chegando a ter sua vida contada na Broadway e se tornado uma infuência decisiva para a música negra mundial, do hip hop ao jazz, do rock à eletrônica.

Ouça músicas de nigerianos ilustres e seus seguidores e um remix dos Masters at Work:

Fela Kuti – Teacher Don’t teach Me No Nonsense

Tony Allen – Home Cooking

Seun Kuti – IMF ft. M1 (from Dead Prez)

Beng Beng Beng – Femi Kuti

The Funkees – Akula Owu Onyeara

MAW Expensive, Masters at Work Presents a Tribute To Fela

 

 

Sem mais artigos