Em entrevista à Rolling Stone, Dave Grohl andou elogiando o estilo de tocar de Meg White, ex-baterista do White Stripes, banda que acabou em 2011, após oito álbuns gravados. O ex-Nirvana disse que a moça está entre seus bateristas favoritos de todos os tempos – junto a, por exemplo, John Bonham, do Led Zeppelin, e Keith Moon, do The Who.

 

“Os bateristas que mudaram o mundo tinham personalidades definidas e isso vinha das imperfeições deles. Você ouve John Bonham e o sentimento passado não é o de um metrônomo, mas de uma lenda. Keith Moon tocava como se estivesse pegando fogo. Ele era um baterista selvagem, desleixado, frenético pra cacete e maníaco, mas isso é a The Who”.

O duo White Stripes era formado por Meg e Jack White, este último sempre carregando os louros da criatividade musical do grupo. Meg foi comumente alvo de críticas, especialmente no que dizia respeito à sua técnica. 

Grohl comentou que acha difícil escolher hoje em dia um baterista preferido porque a “perfeição” tem tomado o lugar da personalidade. “É bom ouvir bateristas como a Meg White – uma das minhas favoritas de todos os tempos. Ninguém toca daquele jeito”, prosseguiu o diretor do documentário Sound City, elogiando também os bateristas do Black Keys e Vampire Weekend.

“Se qualquer dessas pessoas fossem à Faculdade Berklee de Música, não seriam consideradas tecnicamente proficientes, apesar da música delas ter mudado o mundo totalmente”, arrematou.

Sem mais artigos