Em entrevista ao site The Quietus, o Duran Duran afirmou que o processo de produção de seu álbum Red Carpet Massacre, de 2007, foi “um verdadeiro pesadelo”.

De acordo com o baterista Roger Taylor, o problema começou quando a banda resolveu seguir as recomendações de sua gravadora e criar músicas com batidas R&B e influências mais pop, sob o comando do produtor Timbaland.

“Todo o projeto com Timbaland foi um pesadelo. Nós entregamos para a Sony Music um álbum de rock, e eles disseram que precisávamos de um som mais pop. Daí nos sugeriram trabalhar com Timbaland”, contou Taylor.

“Quando sugeriram o Timbaland, nós dissemos OK. E quando ele chegou no estúdio e viu nossas guitarras, o baixo e a bateria, acho que ele ficou mortificado e surpreso, porque para esses caras a fórmula da música precisa ser sempre a mesma, e a pegada dele é sempre com batidas eletrônicas e R&B”, completou Nick Rhodes.

Mesmo com todos esses problemas, o vocalista Simon Le Bon afirmou que no fim das contas foi bom fazer um álbom tão diferente.

“Sabe porque foi tão importante? Porque em Red Carpet Massacre tentamos mudar a personalidade da banda, e recebemos um sonoro NÃO dos nossos fãs. Então foi um aprendizado, nem que seja para termos certeza do que não podemos fazer”, garantiu.

Sem mais artigos